Ex-governador Beto Richa, o irmão Pepe e a esposa Fernanda são presos em Curitiba
11/09/2018 07:24 em parana
Ex-governador Beto Richa e Fernanda Richa foram presos nesta terça – Foto AEN

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) foi preso nesta terça-feira (11), em Curitiba. Ele é candidato ao Senado. A esposa de Beto Richa, Fernanda Richa, também foi presa. O ex-secretário da Casa Civil Deonilson Roldo também foi preso, assim como o irmão de Beto, Pepe Richa, que foi secretário de obras.

Fontes informaram a Banda B que as prisões foram feitas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público do Paraná. Ao mesmo tempo, foi deflagrada pela Polícia Federal a 53ª fase da Lava Jato,. Policiais cumprem mandados de busca e apreensão no Palácio Iguaçu e na casa de Beto Richa, no bairro Mossunguê, em Curitiba. As mesmas fontes informaram que são operações distintas. As prisões da família Richa teriam ligações com denúncias de desvios em licitações.

 

Operação Piloto

Já esta nova fase da Lava Jato, chamada de Operação Piloto, foi deflagrada nos estados da Bahia, São Paulo e Paraná para investigar contratos da Odebrecht. Aproximadamente 180 Policiais Federais cumprem 36 ordens judicias nas cidades de Salvador, São Paulo, Lupianópolis (PR), Colombo (RMC) e Curitiba.

O objetivo da investigação é a apuração de suposto pagamento milionário de vantagem indevida no ano de 2014, pelo Setor de Operações Estruturadas do GRUPO ODEBRECHT, em favor de agentes públicos e privados no Estado Paraná, em contrapartida ao possível direcionamento do processo licitatório para investimento na duplicação, manutenção e operação da rodovia estadual PR-323 na modalidade parceria público-privada.

As condutas investigadas podem configurar, em tese, os delitos de corrupção ativa e passiva, fraude à licitação e lavagem de dinheiro.

O nome dado à operação policial remete a codinome atribuído pelo GRPO ODEBRECHT em seus controles de repasses de pagamentos indevidos a investigado nesta operação policial.

Os presos serão conduzidos à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba/PR onde permanecerão à disposição da Justiça.

Será concedida entrevista coletiva às 10h no auditório da sede da Polícia Federal em Curitiba/PR.

COMENTÁRIOS